Fazer o necessário e não o supérfluo – Tao Te Ching – Capítulo 9

Só se pode encher um vaso até a borda
Nem uma gota a mais.
Não se pode aguçar a faca,
E logo testar a sua agudeza.
Não se pode acumular ouro e pedras preciosas,
Sem ter lugar seguro para guardá-los.
Quem é rico e estimado,
Mas não conhece a sua limitação,
Atrai a sua própria desgraça.
Quem faz grandes coisas,
E delas não se envaidece,
Esse realiza o Céu em si mesmo.

Explicação filosófica:

O homem sábio deve ser equilibrado em tudo, como o próprio Universo, cujo UNO destoa do Verso. Quando o homem-ego pretende fazer mais do que o homem-Eu permite, o desequilíbrio é infalível – e o desequilíbrio é a infelicidade do homem. O homem deve, em tudo, ser universificado, agindo de dentro para fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.